Outra injustiça de Moro foi corrigida e TRF-4 inocenta Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT

Mais um ato de injustiça orquestrado pela Operação Lava Jato  contra o PT acaba de ser demolido pela verdade dos fatos, que sempre acaba aparecendo, como diz o ex-presidente Lula. Na quarta-feira (26), o Tribunal Regional da 4ª Região (TRF-4) inocentou Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT nas acusações de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Ele foi condenado pelo então juiz Sergio Moro, em primeira instância e sem provas, a nove anos e 10 meses de prisão.

Vítima de perseguição de supostas “investigações” da Operação Abismo, ligada à Lava Jato, Ferreira ficou preso por mais seis meses. A decisão que derrubou a sentença de Moro foi tomada pelos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional da 4ª Região por unanimidade.

O efeito dominó que vem derrubando por terra manobras que resultaram em julgamentos políticos e condenações sem provas reparou mais um ato de injustiça história contra o PT na semana passada, quando a 3ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região extinguiu a pena de José Genoíno e Delúbio Soares por falsidade ideológica, no caso do “mensalão”.

“José Genoíno foi um dos primeiros casos de lawfare aqui no país”, afirmou o líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães. “Desde o início desta perseguição ficou evidente que não havia qualquer indício contra Genoíno. Hoje, depois de uma década de perseguição, veio a confirmação da sua inocência. Quem vai reparar os danos na sua imagem?”, pergunta Guimarães.

Com informações do PT

Related Articles