“As entrevistas de Putin”, com Oliver Stone

Em mais de uma dúzia de entrevistas, o cineasta americano Oliver Stone, vencedor de três Oscar, teve acesso sem precedentes ao presidente russo para realizar esta minissérie “Entrevistas com Putin” – que o Nocaute exibirá semanalmente, em parceria com a TVT, em exclusividade nacional, a partir da próxima sexta-feira, 10 de julho, às 21h45. A minissérie é considerada o mais minucioso e detalhado retrato do presidente russo já realizado por um entrevistador ocidental.

Sem qualquer censura e sem nenhuma pergunta sem resposta, esta notável série em quatro capítulos traz uma visão íntima da vida pessoal e profissional de Putin. Stone leva o presidente russo a falar de sua infância sob o comunismo, o judô como saída para escapar da delinquência, a ascensão ao poder, a carreira no Serviço Secreto Soviético, o KGB, e suas relações com quatro presidentes dos EUA. 

Nenhum assunto, nenhum tabu ficou fora dos quatro capítulos desta minissérie. Stone pergunta a Putin sobre o a Perestroika, sobre Gorbatchov e Iéltsin, sobre o hackeamento das eleições americanas para favorecer Trump e sobre as articulações secretas para que Edward Snowden fugisse da CIA e entrasse clandestinamente na Rússia, onde vive hoje.

Em surpreendente iniciativa, Putin leva Stone para uma sala de guerra, de onde o presidente comanda, diante das câmeras do cineasta e em tempo real, operações militares na guerra contra o Estado Islâmico em pleno território sírio. Um filme de ficção não seria tão inverossímil. 

Espetado por Oliver Stone, o presidente Vladimir Putin faz revelações sobre o papel dos Estados Unidos na criação da Al Qaeda e do mito Osama Bin Laden, conta que sugeriu a Clinton que a Russia fosse admitida na OTAN, identifica a mão da Casa Branca nas guerras da Ucrânia e da Criméia e dá detalhes da privatização selvagem ocorrida na Rússia pós União Soviética. E confidencia os conselhos que Fidel lhe passou para cuidar melhor de sua segurança pessoal. 

Em meio a temas ásperos e dramáticos, a série mostra momentos anedóticos, como Putin dizer que “quase chorou de saudade” ao ficar três meses sem ver Oliver Stone, ou quando o presidente russo diz que “não ficaria nu no banheiro de um submarino com um oficial gay.” Segundo a crítica norte-americana, “The Putin Interviews” só é comparável, do ponto de vista político e jornalístico, às “The Nixon Interviews”, realizadas em 1977 por David Frost com o ex-presidente Richard Nixon

Vencedor de dois Oscar como melhor diretor (por Platoon  e Nascido em 4 de Julho) e um como melhor roteirista (Expresso da Meia-Noite), Oliver Stone recebeu cinco vezes o Globo de  Ouro, três como diretor (Platoon, Nascido em 4 de Julho e JFK) e duas como roteirista (Nascido em 4 de Julho e Expresso da Meia-Noite).  

Desde que estreou em 1971 com o curta “Last Year in Vietnam”, e até dirigir “The Putin Interviews”, Oliver Stone realizou e/ou dirigiu, em ordem cronológica decrescente, “Snowden” (2016), “Mi Amigo Hugo (2014)”, “The Untold History of the United States” (série, 2012), “Savages” (2012), “Wall Street: Money Never Sleeps” (2010), “South of the Border” (2009), “W.” (2008), “World Trade Center” (2006), “Looking for Fidel (2004)”, “Alexander (2004)”, “Any Given Sunday” (1999), “U Turn” (1997), “Nixon” (1995), “Natural Born Killers” (1994), “Heaven & Earth” (1993), “JFK” (1991), “The Doors” (1991), “Born on the Fourth of July” (1989), “Talk Radio” (1988), “Wall Street” (1987), “Platoon” (1986) “Salvador” (1986), “The Hand” (1981), “Madman of Martinique” (curta, 1974)) e “Seizure” (1971).

Nascido em Nova York em 1946, Oliver Stone é também autor do livro “A História não Contada dos Estados Unidos”, em coautoria com Peter Kuznick, convertido no documentário de 10 episódios referido acima.

Nocaute e equipe agradecem do fundo do coração ao diretor Oliver Stone e aos produtores Maximilien Arvelaiz, David Tang, Rob Wilson e Fernando Sulichin pela generosa cessão dos direitos de exibição no Brasil da série “The Putin Interviews” ©.

Começa na próxima sexta-feira, 10 de julho, às 21h45 no Youtube do Nocaute e na Rede TVT, a TV dos Trabalhadores.

Fonte: nocaute.blog.br

Related Articles