Nota do PT DF: Covid-19 Romper o isolamento é promover o genocídio

O Distrito Federal se encaminha para uma tragédia sanitária devido aos efeitos da Covid-19 sobre a população, em especial, a mais vulnerável socialmente. Chegamos à triste marca de 47070 casos confirmados e 559 mortos, ressaltando possíveis contradições nos dados fornecidos pelo GDF. A rede privada não suporta mais dois dias de demanda crescente, enquanto o sistema de saúde pública caminha célere para o colapso.

E o que faz o governador Ibaneis Rocha diante desta macabra realidade? Em entrevista, publicada nesta terça-feira (30/6), no Estadão, ele avisa que pretende “reabrir tudo até agosto” porque, segundo o próprio, “a Covid-19 terá que ser tratada como uma gripe”.

Ibaneis, assim, se iguala a Bolsonaro no desprezo à ciência e na irresponsabilidade para com a saúde da população. Acham, ambos, que o importante é salvar a economia e agradar ao empresariado, mesmo que seja às custas de uma pilha de cadáveres.

As declarações de Ibaneis representam algo como jogar a vida das pessoas na loteria. Seu raciocínio de que a maioria das pessoas terá sintomas leves e poucas terão seu estado agravado é absolutamente cruel. Como pode um governante desprezar o sofrimento excruciante de um doente grave de Covid-19, mesmo que o resultado final não seja a morte?

A situação da população do Distrito Federal diante da pandemia, que já é de vulnerabilidade sanitária devido ao descontrole do isolamento, pode evoluir para extremamente grave se Ibaneis autorizar o “abre geral” como prometeu. Às vésperas do pico da pandemia no DF as medidas de isolamento deveriam ser intensificadas, jamais abandonadas, afinal é imperativo achatar a curva de contágio para não colapsar o sistema de saúde.

O povo, cuja consciência é superior à de Ibaneis, precisa reagir. O governador tem que conter seu ímpeto genocida. Sua necessidade patológica de ter boas relações com Bolsonaro não pode se impor sobre a vida do povo.

Nesse sentido o Partido dos Trabalhadores conclama a população a exercer toda a pressão possível sobre o governo. Nossas lideranças sindicais e populares, bem como nossos parlamentares na Câmara Legislativa e na Câmara dos Deputados empreenderão todos os esforços para evitar a imensa tragédia que poderá vir das ações da dupla genocida Ibaneis e
Bolsonaro, mas a pressão popular é que poderá fazer o governador recuar do genocídio anunciado.

Partido dos Trabalhadores
Sempre ao lado do povo

Related Articles