Arlete Sampaio cobra responsabilidade do GDF em relação aos profissionais da saúde

A deputada distrital Arlete Sampaio tem cobrado, desde o início da pandemia do novo coronavírus no DF, a COVID-19, que o governo do Distrito Federal tome providências para garantir a segurança de profissionais de saúde. Têm surgido inúmeras denúncias de que trabalhadores e trabalhadoras da saúde pública estão sem acesso aos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras cirúrgicas, toucas e álcool em gel. Além disso, há casos em que os EPIs entregues pelo GDF não são adequados para o enfrentamento da doença.

De acordo com a Secretaria de Saúde, 511 profissionais da área testaram positivo para COVID-19. Destes profissionais, 84,5% são da rede pública. Os trabalhadores e as trabalhadoras atuam em 16 hospitais públicos e em 6 UPAs.

Arlete Sampaio já encaminhou inúmeros ofícios, indicações e também destinou emendas parlamentares para que o GDF possa solucionar o problema. Nesta quinta-feira (21), a Frente Parlamentar em Defesa da Vida no contexto da COVID-19 se reunirá com a equipe da Secretaria de Saúde para discutir a oferta de EPIs para os trabalhadores da saúde, leitos de UTIs e contratos emergenciais.

Para a deputada, é imprescindível que o GDF ofereça equipamentos compatíveis com as necessidades dos profissionais de saúde para que eles possam trabalhar com segurança.

“A quantidade de trabalhadores da saúde infectados é assustadora. Um dos maiores responsáveis por essa situação é o GDF, com a falta de EPIs. É um absurdo o que está acontecendo hoje na Secretaria de Saúde. Os profissionais de saúde estão recebendo máscaras de quinta categoria, de TNT. Isso é um desrespeito”, diz a deputada.

Related Articles