PT na Câmara define apoio à candidatura de André Figueiredo (PDT).

Decisão da bancada foi por unanimidade; deputado cearense participou do governo Lula e foi ministro de Dilma

A Bancada do Partido dos Trabalhadores naCâmara dos Deputados decidiu apoiar a candidatura de André Figueiredo, do PDT, para a presidência da Casa. A definição foi anunciada após reunião da Bancada, na tarde desta terça-feira (31), em Brasília. A eleição para a presidência da Câmara dos Deputados acontecerá na quinta-feira, dia 2 de fevereiro.

Para o líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (PT-SP), a decisão representa “um gesto de unidade das forças de oposição, das forças de esquerda na luta por uma Câmara mais democrática”. “Por uma presidência (da Câmara) que respeite o regimento interno, os espaços dos partidos, onde o povo possa vir e ocupar as galerias, porque isso aqui é a casa do povo”, afirmou.

André Figueiredo é filiado ao PDT desde 1984, partido do qual é presidente no Ceará e exerce a 1ª vice-presidência nacional. Cumpre seu quarto mandato como deputado federal. Foi secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Emprego no governo Lula de 2007 a 2010. Em outubro de 2015, foi indicado ministro das Comunicações por Dilma Rousseff e ficou no cargo até o afastamento da presidenta eleita, em abril de 2016.

Figueiredo liderou na Câmara, em 2013, a aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE), que garantiu 10% do PIB para a educação, e foi escolhido como relator da Lei dos Royalties do Pré-Sal. No Congresso Nacional, texto de sua autoria, convertido na Lei 12858/2013, garantiu a destinação de mais de 300 bilhões de reais para a educação e a saúde nos próximos dez anos.

Em outubro de 2016, votou contra o projeto de lei 4567/2016, de autoria de José Serra (PSDB-SP), que permitia a empresas multinacionais explorar o petróleo da camada pré-sal sem realizar consórcios com a Petrobras. O texto, no entanto, foi aprovado pela base do governo golpista de Michel Temer (PMDB) por 292 votos a favor e 101 contrários.

Zarattini disse que o PT quer o respeito à proporcionalidade na constituição da mesa diretora.

“Infelizmente, a Constituição brasileira também prevê a formação e blocos, o que desvirtua essa proporcionalidade e desvirtua a força do voto popular,que nos deu a segunda maior bancada. Mas nós vamos constituir o bloco com a minoria e queremos estar na luta para que seja respeitado, porque o regimento interno garante à minoria a participação na mesa”.

O líder ainda explicou que a intenção é ampliar o bloco para derrotar os golpistas. “Nós queremos ampliar o bloco, vamos ainda conversar com a Rede, conversar com o Psol, tentar resgatar o PCdoB, trazer o PCdoB junto com a gente, para a gente derrotar aqui essa maioria que quer tripudiar em cima da minoria e impedir que passe pelo Congresso as medidas ruins, negativas, maléficas do governo Temer, a reforma da Previdência, a reforma trabalhista e uma série de outras medidas que visam diminuir os direitos do povo brasileiro”.

Leia mais

Related Articles

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Últimas atividades

Categorias

Diretório Regional do Partido dos Trabalhadores do DF

Diretório Regional do Partido dos Trabalhadores do DF

W3 Sul - CRS 505 Bloco A loja 28

61 3225-5103

contato@ptdf.org.br